Decorando com garrafas velhas

É sempre interessante utilizar coisas que normalmente jogaríamos fora para criar algo totalmente novo e com um conceito todo especial. Este pequeno artigo de curiosidade tem uma pegada totalmente nova aos meus olhos – não o aproveitamento para vasos ou recipientes para plantas – mas a decoração é totalmente intuitiva e cria um sistema duradouro. Quando vi um artigo em um site americano – achei interessante replicar – e repliquei. O efeito foi fantástico – já fazem três meses que plantei e as plantas estão firmes e fortes e cada dia mais verdes.

Lembre-se dos materiais que vai precisar para essa decoração com garrafas usadas – você vai precisar pra isso:

Uma tela com espaçamento de no máximo 4 milimetros (cerca de 49 centimetros quadrados são mais do que suficiente) se achar que não ficou bacana, você pode utilizar um arame para ajudar na fixação – como ele fica escondido em baixo da terra não vai dar pra ver.

Terra preparada de jardim – Um grande erro na decoração com plantas é que as pessoas esquecem que normalmente estas plantas ficam em ambientes não muito receptivos a ter plantas – por isso, uma terra preparada é a chave para a durabilidade.

Barbante (você pode variar as cores);

– Uma garrafa cortada a cerca de 3cm do chanfro do bico (3cm da voltinha que vira o bico) – se você não sabe como cortar em casa, você pode levar em alguma vidraçaria – o custo é minimo.

Lembre-se: Um local com luz da manhã auxilia muito no crescimento das plantas – o barbante ajuda a água não escorrer e sujar as laterais da garrafa – você pode utilizar garrafas de várias cores – troque a aguá sempre que possível. 

Agora, as fotos para preparação desta decoração são simplesmente didáticas.

Aproveite e vamos lá!

 

 

 

Equipe IdeiaDecorar
Esta publicação está atribuída há equipe do IdeiaDecorar.com, não há um redator ou criador de conteúdo específico que tenha atribuição única a este artigo, isso significa que várias pessoas da equipe do site podem, eventualmente, realizar alterações neste conteúdo.
Publicado em:
5 de fevereiro de 2013